7 de outubro de 2019

Dogival de Moura Alves, como promotor de Justiça assumiu vários cargos dentro da Polícia Civil

Na quinta edição do "Resgatando Memórias" entrevistamos o promotor aposentado, Dogival Moura Alves, casado, tem 5 filhos, 24 netos entre bisnetos, atuou como delegado de Polícia, subsecretário de segurança do Estado de Alagoas e foi guarda civil policial.

Antes de entrar no Ministério Público, trabalhei na refinaria Moinho Motrisa, fui motorista de ônibus, e digo isto com muita alegria e orgulho, fui guarda civil policial.

 

Promotor de Justiça e o Ministério Público.

Em 1975, fui delegado de Polícia do 2* estrito, fui subsecretário de segurança do Estado de Alagoas e nomeado como promotor de Justiça para a Comarca de Murici, depois fui promovido para Maceió.

Na época de Dr. José Rubens Fonseca de Lima, fui diretor geral da Polícia Civil, fiz bons amigos, graças a Deus todos os promotores e procuradores de Justiça foram meus amigos.

A delegacia que atuava era considerada a mais rígida porque eu agia com rigidez, não deixava nada passar despercebido.

 

“O Ministério Público foi a melhor coisa que fiz na minha vida, foi a minha salvação”.

Fiz grandes amigos na instituição e a maioria me convidava para ocupar cargos do governo, como por exemplo, Camerino foi secretário de Justiça, ele me convidou para ser subsecretário, mas quando ele entrou no presídio ficou assustado com os fatos que presenciou e renunciou, eu também não assumi o cargo de subsecretário foi Tutmés Airan, o qual hoje é presidente do Tribunal de Justiça.

Eu amava ser promotor de Justiça, atuar no júri, o que me fascina no Ministério Público é a independência, autonomia e segurança que possui.

Hoje o Ministério Público é um espetáculo conduzido pelo procurador-geral Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, pessoa formidável, tranquila,seguro e sereno, ele tem características indispensáveis para conduzir o MP e todos nós unidos ao procurador-geral presenciamos um Ministério Público politizado. O MP cresceu e pegou a voz do povo.

7 de outubro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *